16 - 08 - 2018

Reunião de Formadores do IEFP, da zona Centro

No dia 09 de junho, em Coimbra, a APF - Associação Portuguesa de Formadores reuniu-se com quase cinquenta formadores do IEFP da zona centro do país. Estiveram presentes formadores dos centros de formação do IEFP de Águeda, Arganil, Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Portalegre e Viseu.
Nesta reunião foram esclarecidas questões no que diz respeito ao PREVPAP – Programa de Regularização Extraordinária de Vínculos Precários da Administração Pública e foi definido um plano de ação imediato com medidas claras para a defesa do formador.
No PREVPAP o formador não está a ser tratado de forma igual que a maioria dos trabalhos que poderão ver a sua situação regularizada. Mesmo dentro do IEFP, os técnicos de Orientação, Reconhecimento e Validação de Competências, os Técnicos de Serviços Sociais e outros técnicos terão a sua regularização praticamente direta, isto é, um técnico abre uma vaga e é integrado. 
No caso do formador, em que lhe é reconhecido que o vínculo contratual não é o adequado e que recebe um parecer favorável à integração poderá não ser integrado por não haver vaga. A APF entende que terão de abrir tantas vagas quantos pareceres positivos emitidos pela CAB MTSSS. 
Nesse sentido a APF entregou no dia 27 de abril uma petição na Assembleia da República assim como para a recuperação da carreira de Formador. Um formador deve garantir que na sua integração continuará a exercer as funções que deram origem à mesma.
Os Formadores do IEFP são os motores dos serviços de Formação deste instituto por todo o país, sem formadores não há formação, e a formação faz parte da missão do IEFP. E atualmente não há formadores nos quadros do IEFP e de acordo com informações desse Instituto, os formadores serão integrados nas Carreiras Gerais criando assim desigualdade remuneratória entre pares, que até agora tiveram as mesmas condições remuneratórias.
Tememos que sejam criadas mais injustiças entre colegas, o que nada abona a favor da formação e da qualidade da mesma. Dada a natureza da atividade do Formador e dos requisitos obrigatórios para exercer esta profissão, tal como definido na legislação e no próprio regulamento do Formador do IEFP, consideramos que a integração não deve ser realizada nas carreiras gerais da função pública, e deveria ser criada a Carreira de Formador, que já existiu no IEFP, e que deve ser recuperada. 
A APF assumiu o compromisso de defender o Formador e assim o fará durante e após o PREVPAP, para formadores do IEFP e para todos os Formadores do país. A APF acredita que a partilha e união entre os Formadores são os motores para a construção de uma profissão respeitada e dignificada!

Oficinas APF
AASAC
Fidelidade
Em destaque
Aos associados
Estatuto do Formador